Logo

GLOBALIZAÇÃO E MERCOSUL

Varejo/Europa - As paralisações no fornecimento causadas pelo coronavírus devem fazer varejistas na Europa terem perdas de 4,24 bilhões de dólares em vendas no período de seis semanas até 20 de abril, com a China ainda lutando para retomar a produção, mostrou um estudo nesta sexta-feira.

Grãos - O Conselho Internacional de Grãos (CIG) elevou sua projeção para a safra mundial de milho em 2019/2020 deve totalizar 1,112 bilhão de toneladas, acima das 1,111 bilhão estimadas em janeiro.

Coronavírus - O pessimismo no mercado continua com a rápida disseminação do novo coronavírus pelo mundo. Nesta semana, pela primeira vez, o números de novos casos da doença foi o maior fora da China. 

Produção de soja - A previsão para a safra da Argentina foi elevada de 53,1 para 54,5 milhões de toneladas.

Compras agrícolas - O representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, e o secretário de Agricultura do país, Sonny Perdue, anunciaram em comunicado que a China está tomando atitudes para cumprir as promessas de compras agrícolas acertadas na fase 1 do acordo comercial.

Fertilizante - O surto de coronavírus afetou severamente a produção de fosfato na China. Com isso, os preços dos fertilizantes fosfatados provavelmente subirão, segundo análise do Rabobank. “É provável que os preços aumentem como resultado do aumento dos custos de produção e da oferta escassa”, assinala.

Registros de exportações - O Ministério da Agricultura da Argentina suspendeu ontem os registros de exportações agrícolas do país até segunda ordem, anunciou a pasta em comunicado, em medida vista por operadores como um passo que pode anteceder um significativo aumento nas tarifas de exportação de grãos.

Greve/AR - Os produtores da província de Tucumán, no norte da Argentina, irão realizar entre os dias 2 a 9 deste mês de Março uma manifestação interrompendo a comercialização de grãos e controle de cargas daquela região. A medida é uma forma de protestar contra a falta de respostas do novo governo argentino de Alberto Fernández e Cristina Kirchner ante as reivindicações da classe. 

Mudanças climáticas/EUA –  A NFU insta o USDA a  tomar ações decisivas para enfrentar a crise climática.

Água/NZ – Os últimos resultados do GDT mostram que os produtos lácteos são resistentes aos impactos do coronavírus.

Economias sob ameaça - O surto de coronavírus na China pode estar alterando as perspectivas de investimento para a América Latina em 2020, azedando o sentimento em relação ao Chile e ao Brasil, de governos liberais, ao mesmo tempo em que leva as atenções – e o dinheiro – para o México, país de inclinação ideológica de esquerda.

Coronavírus - De acordo com uma pesquisa online realizada pela Ipsos em 9 países, o Japão é a nação que mais acredita que o surto de coronavírus impactará os mercados financeiros e a economia global. No país asiático, 84% dos entrevistados concordam com essa afirmativa.

Acordo comercial - Os Estados Unidos esperam que a China cumpra seus compromissos de compra agrícola no âmbito do acordo comercial da primeira fase com os EUA, disse o secretário de Agricultura, Sonny.

USDA - O USDA Outlook Forum 2020 já trouxe seus primeiros números nesta quinta-feira, 20 de fevereiro, com as expectativas para as áreas de plantio dos EUA. 

Revitalização rural - A China destacará a convergência da indústria nas áreas rurais em 2020, estabelecendo uma base sólida para a revitalização rural, de acordo com um plano divulgado em 17 de fevereiro. 

Future Earth – Um grupo de 222 cientistas participaram de um encontro sobre os maiores riscos que ameaçam o bem-estar das gerações futuras e identificaram cinco fatores: fracasso na adaptação e redução dos efeitos das mudanças climáticas; fenômenos meteorológicos extremos; grande perda de biodiversidade e colapso de ecossistemas; crise alimentar; e crise da água.

Isentos de tarifas - A gigante asiática anunciou uma lista com 700 itens dos Estados Unidos que podem ser isentos de tarifas temporariamente, entre eles soja e carnes. 

Coronavírus - A China planeja voltar às compras de produtos agrícolas norte-americanos a partir do começo de março, segundo fontes ouvidas pela agência internacional de notícias Bloomberg. A fase um do acordo comercial entre chineses e americanos, afinal, entrou em vigor no último sábado, 15 de fevereiro, e o mercado agora espera pelos próximos movimentos da nação asiática. 

Restrições - O presidente Donald Trump criticou nesta terça-feira algumas restrições propostas no comércio com a China e disse que a segurança nacional não pode ser usada como uma “desculpa” para dificultar a compra de produtos norte-americanos por países estrangeiros.

OMC - O crescimento do comércio global de mercadorias deve permanecer fraco no início de 2020, disse nesta segunda-feira (17) a Organização Mundial de Comércio (OMC), acrescentando que o desempenho abaixo da tendência pode ser reduzido ainda mais pelo novo coronavírus.