Logo

Terça, 14 Janeiro 2020 11:30

Brasil socorre a Argentina

Escrito por 

Brasil x Argentina –  Depois de atravessar, entre o segundo governo de Dilma Roussef e o de Michel Temer, um período que os próprios brasileiros consideram a pior crise econômica em várias décadas, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil parece ter recuperado o brio. 

 

Nas últimas semanas, o boletim Focus, elaborado com base nas projeções de consultorias privadas, o Banco Central do Brasil foi elevando as projeções do crescimento do PIB: 2019 deverá fechar em torno de 1,2% e para este ano a expectativa é de 2,3%, com expansão de 2,2% da produção industrial, e uma taxa de inflação de apenas 3,6%, abaixo da meta oficial de 4%.

 

“O Brasil crescendo 2% ou mais impacta forte na Argentina”, disse Gustavo Perego, diretor da consultoria Abeceb. “Cada ponto de crescimento brasileiro agrega 0,25% ao PIB Argentino: um Brasil crescendo puxa o setor metalmecânico argentino e algumas economias regionais”.

 

Em 2019, as vendas argentinas para o Brasil tiveram um comportamento heterogêneo. Aumentou a venda de malte, batatas, trigo, lâminas de madeira, arroz, grãos e azeitonas, porém, caiu a de leite, leite em pó, peras, maçãs, alho, azeite de oliva e ameixa seca.

 

Mas a melhora econômica se adiciona à forte seca, em especial no Estado do Rio Grande do Sul, desde a segunda quinzena de dezembro. As colheitas de soja, e em especial de milho estão registrando perdas fortes, o que afetará e muito a produção de leite desse estado, o mais importante do setor no Brasil. Isto abre uma nova oportunidade para o mercado de leite em pó, já que se estima que aumentará fortemente a demanda.

Informações adicionais

  • NUMERO SELECTUS: 5813
  • Fonte da Notícia: TodoElCampo - Tradução livre: Terra Viva
  • Data: Terça, 14 Janeiro 2020
Lido 34 vezes