ASSUNTO

Produção de leite na Argentina - Para o presidente da União General de Tamberos, Guillermo Draletti, é provável que dentro de 15 a 20 anos, com as tendências atuais, serão necessários investimentos em aumento de capacidade de produção e, assim, transformar a Argentina em um dos principais abastecedouros de leite do planeta. Ainda, segundo ele, nos próximos 5 anos, no mínimo, é necessário duplicar a capacidade instalada de leite em pó e manteiga; melhorar a qualidade e apresentação dos queijos; crescer 10% a produção de leite anual cumulativa; e organizar uma infra-estrutura de serviços e apoio à atividade leiteira, incluindo: financiamento para estocagem para exportação e logística de transporte em toda a cadeia leiteira. De acordo com Draletti, isso transformará a Argentina em abastecedor confiável. Para ele, modelos a serem seguidos são os da Austrália e Nova Zelândia, chegando a cogitar até a formação de uma "joint-venture", em forma de grande sociedade anônima, dedicada à produção de alimentos lácteos argentinos para exportação. Outra alternativa seria juntar produtor e indústria com auspício do Estado e aproveitar as conjunturas favoráveis, como as atuais, para aumentar rapidamente produção, exportação e emprego, haja visto que para construir uma fábrica de leite em pó e manteiga, para 60 mil t/ano cada uma, é necessário investimento de US$ 80 milhões de dólares em infra-estrutura básica, além de um capital de giro de US$ 90 milhões. (Diario Ámbito Financeiro/Argentina)