Logo

GLOBALIZAÇÃO E MERCOSUL

Agronegócio à estaca zero - Por seis meses "afastado voluntariamente" da política e dos negócios da Amaggi, maior trading do agronegócio de capital nacional da qual é acionista, o ex-ministro da Agricultura Blairo Maggi afirma que o discurso "agressivo" do governo Jair Bolsonaro na área ambiental tem combustível suficiente para cancelar o acordo de livre comércio entre Mercosul e União Europeia, anunciado em 28 de junho.

Saída do Mercosul - O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na noite desta quinta-feira (15) que, caso a oposição vença as eleições presidenciais na Argentina e apresente resistência à abertura econômica do Mercosul, o Brasil deixará o bloco. As primárias realizadas no último fim de semana pelo país vizinho, que servem como uma pesquisa nacional, indicou o favoritismo da chapa encabeçada pelo peronista Alberto Fernández, que tem como vice a ex-presidente Cristina Kirchner. Eles receberam 47% dos votos. O atual presidente, Mauricio Macri, ficou com 32%.

Soja/AR - O cenário político na Argentina terá um "grande impacto" na situação da soja no país, observa a consultoria INTL FCStone, em comunicado. A consultoria avalia que a forma como os agricultores vão reagir aos eventos políticos permanece incerta, mas que eles provavelmente vão reter a oferta de soja até depois da eleição do país, em outubro, em virtude da possível maior desvalorização da moeda local no exterior.

Risco de recessão - Cresceram os temores de uma maior desaceleração econômica na Europa e na Ásia após a Alemanha ter informado que sua economia encolheu no segundo trimestre e a China ter divulgado um grande volume de dados fracos.

Contramedidas - A China precisa adotar as contramedidas necessárias em relação às últimas tarifas dos Estados Unidos sobre 300 bilhões de dólares em produtos chineses, disse nesta quinta-feira o Ministério das Finanças.

Quarta, 14 Agosto 2019 13:22

Política ameaça Agro na Argentina

Argentina - A vitória do chamado “Kirchnerismo” nas eleições presidenciais primárias, realizadas no último domingo (10.08) na Argentina, não provocou pânico apenas nos mercados financeiros, mas também no agronegócio. “Todo o enorme esforço de crescimento do agronegócio havido nos últimos quatro anos parece que vai por água abaixo”, declarou Héctor Huergo, comentarista da secção Rural do Jornal Clarín, de Buenos Aires.

Zona do euro - O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro cresceu 0,2% no segundo trimestre de 2019 ante os três meses anteriores e teve expansão anual de 1,1% no período, de acordo com a segunda estimativa da agência oficial de estatísticas da União Europeia (UE), a Eurostat.

Taxa de juros - O Banco Central da Argentina (BCRA) informou em comunicado que a taxa de juros média no dia de hoje dos leilões de Letras de Liquidez (Leliq) ficou em 74,782%. Na sexta-feira, essa taxa média havia sido de 63,706%, ou seja, a taxa de juros no país avançou mais de 10 pontos porcentuais em apenas um dia útil.

Guerra comercial - O governo dos Estados Unidos vai adiar a aplicação de tarifas de 10% sobre alguns produtos chineses, incluindo laptops e celulares, que estavam previstas para entrar em vigor no próximo mês, disse o gabinete do Representante de Comércio dos EUA nesta terça-feira.

Terça, 13 Agosto 2019 10:39

USDA convulsiona mercado do milho nos EUA

Mercado de milho - Contrariando as expectativas, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) elevou as projeções de produção de milho nos EUA. Após a divulgação do relatório de Oferta e Demanda, alguns contratos futuros do cereal negociados na CBOT (Bolsa de Chicago) caíram em até 25 centavos de Dólar.

Acordo - Um acordo firmado em julho pelos membros do Mercosul permite que o Brasil não dependa da Argentina para colocar em vigor o tratado de livre-comércio negociado com a União Europeia. O acerto, feito na última reunião de chefes de Estado do bloco, realizada na Argentina, foi proposto pelo governo de Mauricio Macri e permite que, após a assinatura formal do acordo e o aval do parlamento europeu, as novas regras tarifárias passem a valer para o país que obtiver aprovação do texto pelo seu Congresso.

USDA - O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou nesta segunda-feira, o seu relatório de oferta e demanda da soja. Para a entidade, o país irá colher na safra 2019/2020 apenas 100 milhões de toneladas de soja, 18,7% menor que a safra anterior.

Defensivo agrícola - Ao contrário de diversas notícias informando que o Brasil é o maior consumidor de defensivo agrícola, um recente estudo feito pela Unesp de Botucatu, baseado em dados da FAO, Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação mostrou que, na comparação entre dólar investido em defensivo agrícola e tonelada de alimento produzido, o Japão é líder com o valor de US$ 95,40 por tonelada de alimento produzido, ficando o Brasil na 13ª posição, com um gasto de US$ 8,10 por tonelada.

Lista de parceiros - A Coreia do Sul anunciou hoje (12) que planeja retirar o Japão de sua lista de países selecionados para procedimentos preferenciais de exportação.

Reino Unido - A economia britânica encolheu pela primeira vez desde 2012 no segundo trimestre, consequência do aumento dos estoques pré-Brexit no início de 2019 e no momento em que o primeiro-ministro, Boris Johnson, busca a saída da União Europeia em outubro.

Mudanças climáticas - A população da terra está crescendo e, com ela, o consumo. Essa tendência só irá aumentar em um futuro próximo, mas os recursos do planeta são limitados – e o solo não é uma exceção. Um relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) publicado nesta quinta-feira (8) focaliza a conexão entre o uso da terra e seus efeitos sobre a mudança climática.

Consumo/China – A renda familiar e o crescimento do consumo na China permanecem firmes apesar dos ventos contrários, tanto internos, como externos, mostra pesquisa.

Paraguai – O Banco Central do Paraguai reduziu a taxa básica de juros para o mínimo em oito anos, já que uma inflação abaixo da meta permitiu que os responsáveis pela política monetária injetassem estímulo na economia debilitada, ainda que fosse uma das de maior crescimento na América do Sul.

Cortes de juros - O banco central da China negou nesta quarta-feira rumores que estavam circulando online sobre sua suposta decisão de cortar as taxas referenciais de depósito e de empréstimo a partir de 10 de agosto, dizendo que pediu à polícia que investigue.

Grãos/China - A produção de grãos da China quase quintuplicou nos últimos 70 anos, de acordo com um relatório do Departamento Nacional de Estatísticas (NBS) do país. A produção de grãos da China cresceu a uma taxa anual média de 2,6% desde 1949, conseguindo alimentar 20% da população mundial com apenas menos de 9% da terra arável do mundo, segundo o relatório. 

"plano de saúde"