Logo

Call me on Skype Subscribe on YouTube
Sexta, 08 Abril 2016 17:12

Índice FAO dos Alimentos - março de 2016

FAO/Alimentos - O índice FAO dos preços dos alimentos ligeiramente em alta em março, com a elevação do preço do açúcar.

A produção mundial de cereais deverá atingir 2,521 bilhões de toneladas em 2016, 0,2% menor que no último ano, constituindo assim, o terceiro melhor rendimento do mundo até hoje, de acordo com as primeira previsões da FAO para esta nova temporada, publicadas hoje. Os estoques consideráveis e uma demanda fraca pelo mundo indicam as condições de mercado relativamente estável para cereais em mais uma temporada, segundo o último relatório da FAO sobre oferta e demanda de cereais.

O preço dos alimentos

O Índice FAO dos alimentos no mês de março também foi publicado hoje. Apresenta alta de 1% em relação ao relatório de fevereiro, refletindo o preço do açúcar e as cotações do óleo de palma, que continuam subindo, compensando a queda nos preços dos produtos lácteos.

O índice teve o valor médio de 151 pontos me março, seu maior valor em 2016, mas, ainda está 12% abaixo da pontuação obtida um ano atrás.

O Índice FAO dos alimentos é um índice ponderado do comércio mundial dos principais grupos de produtos: cereais, óleos vegetais, produtos lácteos, carne, e açúcar. A queda verificada no último ano pode ser atribuída à grande oferta de alimentos, desaceleração da economia mundial e a valorização do dólar norte-americano.

O índice FAO dos cereais diminuiu ligeiramente em março, constituindo a quinta baixa mensal consecutiva, dentro de um contexto de perspectivas favoráveis nesta nova estação. O declínio foi muito maior em comparação com o ano passado, 13,1 pontos menos em relação ao mesmo mês de 2015.

O índice FAO dos preços do açúcar subiu 17,1% em relação a fevereiro, atingindo o maior nível desde novembro de 2014. Esta forte alta é explicada principalmente pelas previsões do déficit de produção na atual temporada agrícola, mas, também pela utilização a cana para produção de etanol no Brasil.

O índice FAO dos preços dos óleos vegetais também apresentou forte elevação, 6,3% a mais que o preço de fevereiro. Os preços do óleo de palma tiveram fortes elevações em decorrência da seca prolongada na Malásia e Indonésia, os principais produtores do mundo. O óleo de soja manteve preços estáveis, enquanto os preços do óleo de girassol e de colza caíram.

O índice FAO dos produtos lácteos caiu 8,2%, chegando ao seu menor nível desde 2009, queda provocada pelo mergulho dos preços de manteiga e queijo. O índice FAO de carne ficou inalterado, em relação ao mês passado.

Receba Notícias no Whatsapp

"plano de saúde"