Pir550

Sexta, 10 Maio 2019 16:56

Perspectivas do USDA sobre o mercado lácteo da Europa - Relatório 19 de 09/05/2019

Escrito por 

Leite/Europa – A produção de leite da Europa Ocidental em 2019 ainda não tendeu às expectativas. Ainda assim, a produção mantém seu crescimento sazonal, cujo pico, normalmente, ocorre em maio.

O desapontamento com a produção no início de 2019 tem sido atribuído a diversos fatores. Decorrido mais de um terço do ano, a produção de leite continua com resultados menores do que a expectativa inicial. Alguns observadores acreditam que os efeitos persistentes da seca do último ano na Alemanha e França foram subestimados. O abate de animais de leite em decorrência da seca não foi recuperado na velocidade esperada. A colheita de alimentos para os animais foi de baixa qualidade, em decorrência do stress hídrico sofrido durante a seca.

Mantendo o pessimismo na produção de leite, vem a continuidade da tendência de queda nas vendas de leite fluido na Alemanha e outros países da Europa Ocidental. Esse resultado está associado às vendas de bebidas não lácteas nesses países.

O declínio nas vendas de leite fluido libera leite para que as fábricas elaborem lácteos mais rentáveis que possam compensar, parcialmente, a menor produção. Embora seja decepcionante o crescimento das vendas de não-lácteos, enquanto as vendas de leite fluido declinam, pelo teoricamente, o resultado favorece os fabricantes de produtos lácteos, contribuindo para que eles consigam cumprir obrigações contratuais no momento.

No final de abril, o crescimento da produção de leite semanal na Alemanha e França foi quase imperceptível. Poucos esperam que a produção de janeiro a março na União Europeia (UE) fique acima da verificada um ano antes. Exceção pode ser a Irlanda, cujos dados preliminares indicam crescimento em relação ao primeiro trimestre de 2018. Entretanto, no geral, a expectativa é de que a produção de leite de 2019, seja superior à de 2018.

A demanda por queijos na Europa Ocidental permanece forte. No entanto, a queda na produção de leite está causando menor produção de queijos do que a capacidade das indústrias e menos do que o desejável. Os estoques continuam justos para atender a demanda e obrigações contratuais. A maior parte da produção programada para maio já está vendidas. Houve aumento de preços para o que ainda tinha da produção de junho, e as vendas foram fechadas.

O atual ritmo de produção e vendas de queijos continuará, enquanto não houver previsão sustentável no longo prazo. A preocupação é amenizada por projeções de múltiplas e variadas fontes sobre o aumento da produção de leite no segundo semestre do ano. A produção de queijo terá destino preferencial para o leite. A UE está muito consciente de que é a maior exportadora mundial de queijos. E, os fabricantes de queijos esperam e pretendem atender suas obrigações contratuais para manter essa liderança.

 

Informações adicionais

  • NUMERO SELECTUS: 5648
  • Fonte da Notícia: Usda – Tradução Livre: Terra Viva
  • Data: Sexta, 10 Maio 2019
Lido 58 vezes
"plano de saúde"