Logo

Quarta, 10 Abril 2019 15:53

Brexit – Sem consenso

Escrito por 

Brexit – Os exportadores da Nova Zelândia estão com o coração na boca enquanto os políticos britânicos lutam para chegar a algum consenso sobre a saída da Grã-Bretanha da União Europeia (UE).

 

Mesmo os comentaristas mais experientes ficam desconcertados diante do que vem acontecendo em Westminster. Kimberly Crewther da Associação das indústrias de laticínios da Nova Zelândia (DCNAZ) disse que muitas empresas estão estabelecendo planos para diversos cenários. “Eles observam o desenvolvimento das negociações e procuram informações junto às agências governamentais da Nova Zelândia, como os sites do Ministério das Relações Exteriores e Comércio, ou Ministério do Interior. São publicadas muitas informações, mas, até o momento, são hipóteses sobre diversos cenários”, disse Crewther ao Dairy News. Alguns acordos vão sendo elaborados, mas, tudo depende das decisões dos parlamentares britânicos.

Outros complicadores surgem no horizonte, como as eleições para o Parlamento Europeu que será realizado até o final de maio, e se a Grã-Bretanha não sair até lá, pode ainda ficar envolvida com essa eleição.

O enviado especial da Nova Zelândia, Mike Petersen, descreve a situação como uma bagunça terrível. Ele diz que os exportadores estão ficando cada vez mais preocupados e eles elaboram planos de contingência para um Brexit sem acordo, o que seria desastroso tanto para o Reino Unido, quando para a UE, diz ele.

“Embora as empresas estejam planejando um não-acordo, ainda esperam que um acordo seja fechado e que não precisem acionar planos para um cenário de não negociação”.

É quase certo que não haverá um novo referendo, acredita Petersen. “Ninguém lançaria o Reino Unido em um processo terrível – de muita polarização”, disse ele.

Petersen acredita que os membros do partido Conservador vão acabar concordando com as propostas de Theresa May, porque eles não querem uma eleição com o riso de Jeremy Corbyn se tornar primeiro ministro.

Diante do Brexit, algumas empresas da Nova Zelândia estão procurando estabelecer uma presença mais forte na Europa continental, e estão transferindo funcionários de Londres para Bruxelas ou Amsterdã, onde está a sede da Fonterra. Petersen disse que já tomou conhecimento de que algumas empresas registraram novos escritórios na Europa.

“O novo local a ser escolhido depende da base de seus clientes, ou dos principais portos de entrada para a Europa, como Roterdã na Holanda, ou Antuérpia, na Bélgica”, esclarece Petersen.

Informações adicionais

  • NUMERO SELECTUS: 5628
  • Fonte da Notícia: Dairy News – Tradução livre: Terra Viva
  • Data: Quarta, 10 Abril 2019
Lido 98 vezes
"plano de saúde"