Logo

Terça, 12 Fevereiro 2019 18:03

Verão aquece temperatura e preços de produtos típicos da estação

Escrito por 

Temperatura - O verão de 2019 é um dos mais quentes da história, e o calor é sentido não apenas na pele, mas também no bolso das famílias. Vários produtos de maior consumo na estação apresentaram aumentos de preços acima da inflação de janeiro, que teve alta de 0,32%, de acordo com o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), divulgado na sexta-feira (8) pelo IBGE.

É o caso, por exemplo, das frutas, que tiveram alta de 2,26% em dezembro de 2018 e de 2,38% em janeiro de 2019. O preço desses produtos costuma dar um salto em janeiro, para depois desacelerar nos meses seguintes.

O analista do Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor do IBGE, André Almeida, explica que os preços das frutas sobem no verão por conta de fatores relacionados à oferta e à demanda, e que temperaturas mais elevadas aumentam a procura por frutas mais tropicais, como o abacaxi: “no lado da oferta, a dificuldade de colheita em época de chuvas diminui a disponibilidade do produto nos mercados. Quanto à demanda, nos meses quentes esses produtos são mais consumidos, pressionando os preços”.

O calor também provoca uma corrida às lojas de eletrodomésticos. Em janeiro, o aparelho de ar-condicionado aumentou 4,37%, enquanto o ventilador subiu 3,10%. “Pôde-se observar locais no Rio de Janeiro que esgotaram os estoques desses produtos devido à alta procura”, diz o analista do IBGE.

Já outros itens, como as excursões, apresentam altas concentradas no período de férias escolares. Esse item teve alta 1,08% em dezembro e 6,77% em janeiro, e a tendência é que ocorram desacelerações e quedas gradativas nos meses seguintes, como em anos anteriores. Já a demanda por consumo de alimentos fora do domicílio acompanha as férias e o carnaval, por isso o pico pode se situar em fevereiro ou março, conforme o calendário.

Informações adicionais

  • NUMERO SELECTUS: 5589
  • Fonte da Notícia: IBGE
  • Data: Terça, 12 Fevereiro 2019
Lido 62 vezes
"plano de saúde"