Logo

Quarta, 09 Janeiro 2019 17:10

Mais dor de cabeça para os Agricultores norte-americanos com a assinatura do CPTPP sem EUA

Escrito por 

CPTPP – Um histórico tratado comercial entre 11 países, o Acordo Transpacífico (CPTPP) foi ratificado por sete de seus membros no final de 2018. O acordo que retira tarifas entre os 11 países, faz com que os não membros, como os Estados Unidos sejam menos competitivos nesses mercados. Os exportadores norte-americano de carne bovina, trigo [e lácteos], em particular, devem sentir bastante.

Os fazendeiros norte-americanos, já atingidos pelos baixos preços das commodities e pelas retaliações tarifárias da China, devem enfrentar ainda mais dificuldades em 2019, com a entrada em vigor do acordo comercial do Pacífico. O CPTPP reúne Austrália, Canadá, Japão, México, Nova Zelândia, Cingapura e Vietnã. Os quatro membros restantes – Brunei, Chile, Malásia e Peru – logo deverão seguir o exemplo.

O CPTPP foi uma versão reformada do Parceria Trans-Pacífico (TPP), que reduzirá as tarifas entre as 11 nações que são responsáveis por 14% d comércio global, tornando suas exportações mais competitivas. Cerca de 90% dos cortes tarifários entrarão em vigor imediatamente, disse o HSBC, acrescentando que as empresas serão beneficiárias com a redução de custos administrativos graças a outros benefícios, como desembaraços aduaneiros. Os produtos dos não membros do CPTPP, como os Estados Unidos, serão menos competitivos nos 11 países. A maior economia do mundo foi inicialmente um dos países que negociaram o amplo acordo do ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, mas, Donald Trump se retirou das negociações no início de 2017. A carne norte-americana é um dos produtos que irá ser prejudicado. O Japão é o maior mercado de carne bovina dos Estados Unidos, mas, agora, os produtos da Austrália podem ocupar o posto que era norte-americano, já que as tarifas da carne bovina no Japão serão reduzidas em 27,5% para os produtores australianos. Comportamento semelhante terá o trigo. As exportações do Canadá e da Austrália para o Japão serão beneficiadas imediatamente, com queda de 7% no preço para o governo japonês, e que aumentará para 12% a partir de abril.

Se os EUA tivessem permanecido no TPP, a renda do país cresceria US$ 131 bilhões por ano, segundo o Instituto Peterson de Economia Internacional. “Os EUA não apenas renunciam a esses ganhos, mas, também perdem uma renda adicional de US$ 2 bilhões, porque as empresas norte-americanas estarão em desvantagem nos mercados CPTPP”, disse um relatório de fevereiro.

Informações adicionais

  • NUMERO SELECTUS: 5565
  • Fonte da Notícia: CNBC – Tradução livre: Terra Viva
  • Data: Quarta, 09 Janeiro 2019
Lido 121 vezes
"plano de saúde"