Quarta, 10 Outubro 2018 17:25

Custo com sanidade é baixo, mas manejo inadequado pode resultar em prejuízo

Custos leite - Os gastos com sanidade animal têm participação relativamente pequena nos custos totais de propriedades pecuárias. Conforme o levantamento do projeto Campo Futuro da CNA, em parceria com Cepea, na “média Brasil” (composta por BA, GO, MG, PR, RS, SC e SP), esse grupo de insumo representa cerca de 5% do COE (Custo Operacional Efetivo) do produtor de leite.

Os medicamentos utilizados para o controle parasitário, por sua vez, têm significativa participação dentro desse grupo de insumo, variando de 16% a 43% (Figura 1) dos custos totais com a sanidade dos rebanhos. Os ectoparasitas causam relevantes perdas econômicas à produção pecuária no Brasil, em especial a leiteira. Dentre esses parasitas, o que mais se destaca pela incidência e pelos prejuízos são os carrapatos – além de causadores da diminuição do desempenho produtivo dos animais, são transmissores de doenças, como a Tristeza Parasitária Bovina. Mesmo tendo um impacto econômico significativo, nota-se que o controle de carrapatos muitas vezes é negligenciado nas diversas regiões de produção leiteira do País. Ao longo dos anos, o desenvolvimento de medicamentos eficazes no controle dos carrapatos reduziu consideravelmente as perdas associadas ao parasita no campo. Porém, o uso inadequado desses produtos como única alternativa de controle traz novos problemas para a produção leiteira tropical. Dentre eles destaca-se o surgimento de populações resistentes aos produtos carrapaticidas e a presença de resíduo desses produtos no leite. Nesse sentido, é imprescindível que produtores utilizem carrapaticidas, mas de forma racional para evitar desperdícios e prejuízos tanto na fazenda quanto na cadeia como um todo. O controle estratégico se baseia na aplicação de medicamentos em função do ciclo de vida do carrapato, ao contrário do método tradicional, que prega a aplicação de carrapaticidas quando o rebanho apresenta alta carga parasitária.

Com o auxílio de um técnico que conhece a biologia do parasita na região, o tratamento será realizado nas épocas ideias para o controle químico. O teste de sensibilidade do carrapato aos princípios ativos, oferecido gratuitamente pela Embrapa Gado de Leite, é fundamental para o sucesso do controle. Segundo cálculos do projeto Campo Futuro, o custo médio anual com carrapaticidas é de R$39,94 por vaca em lactação. Apesar de ser um desembolso baixo em relação a outros custos da fazenda, os prejuízos decorrentes do controle ineficiente podem aumentar muito esse valor. Com a chegada do período quente e úmido do ano, o produtor deve estar atento, uma vez que se inicia o momento ideal para controle estratégico das populações de carrapatos.

Informações adicionais

  • NUMERO SELECTUS: 5511
  • Fonte da Notícia: Cepea
  • Data: Quarta, 10 Outubro 2018
Lido 613 vezes