Quinta, 13 Setembro 2018 16:33

Conaprole - Acordo de paz dura menos de uma semana

Conaprole – A Associação dos Trabalhadores e Empregados da Conaprole (AOEC) decidiu realizar nova paralisação nesta quarta-feira, menos de uma semana depois de assinar o acordo de paz com a empresa e o Ministério do Trabalho, e que estará em vigência até dezembro de 2019.

Segundo apurou El Observador, na linha de envase faltaram quatro das 11 pessoas lotadas no setor habitualmente, o que levou a Conaprole a realizar um remanejamento para o cumprimento das tarefas diárias. A AOEC decidiu parar porque não aceita os termos do acordo assinado. A medida afeta todo o setor de envase de leite para Montevidéu. A empresa disse que na terça-feira várias linhas de produção foram paralisadas sem apresentação de motivos.

"Hoje (quarta-feira), diante da ausência de quatro das onze pessoas, no setor de envase de leite UHT, a Conaprole, em seu mais legítimo direito e em pleno cumprimento aos acordos vigentes, manejou empregados para continuar com a produção, mas, surpreendentemente o sindicato decidiu parar o envase de leite UHT e leite fresco. O sindicato volta a tomar decisões irresponsáveis que desafiam novamente o poder de gerenciamento da empresa, que atentam contra a sustentabilidade da cooperativa, uma vez mais, sem compreender a crítica realidade do setor, e ignorando o recente acordo de melhorias de trabalho", disse a empresa.

A AOEC em comunicado disse que "a Conaprole pretendeu inovar" com formas de trabalho no setor de Leite fresco e Leite UHT do Complexo Industrial de Montevidéu na terça-feira, razão pela qual o sindicato pediu a aplicação das 48 horas previstas na cláusula de paz, prevenção e solução de conflitos, que havia sido assinada entre as partes na quinta-feira. Segundo o sindicato, o pedido foi recusado pela empresa. Foram então realizadas assembleias nos turnos da manhã e da tarde, "que não colocam em risco o abastecimento de leite para a população", diz o documento.

Foram nesses termos que as partes denunciaram ao Ministério do Trabalho o descumprimento da cláusula de paz. A pasta qualificou de "lamentável a situação" e pediu uma reunião tripartite para esta quinta-feira. A Conaprole disse que se os trabalhadores continuarem com as interrupções do trabalho não irá participar da reunião.   

Informações adicionais

  • NUMERO SELECTUS: 5492
  • Fonte da Notícia: El Observador – Tradução livre: www.terraviva.com.br
  • Data: Quinta, 13 Setembro 2018
Lido 76 vezes