Terça, 10 Julho 2018 14:41

Comitiva do projeto Intercâmbio AgroBrasil conhece produção mineira

AgroBrasil - A produção de leite e derivados e o café de Minas Gerais foram os temas do projeto “Intercâmbio AgroBrasil – A agropecuária que o mundo todo quer”. O programa tem como objetivo apresentar o agronegócio para delegações internacionais e estimular negócios.

No Estado, embaixadores de cinco países visitaram fazendas para conhecer a produção mineira de café e a pecuária de leite e seus derivados. Ao apresentar a produção para os embaixadores, a expectativa é de que possam ser firmados acordos comerciais. O projeto Intercâmbio AgroBrasil foi desenvolvido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e executado, em Minas Gerais, em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg). As visitas promovidas pelo projeto permitem um contato próximo e direto entre produtores rurais brasileiros e os representantes de delegações estrangeiras no Brasil. O objetivo é apresentar a realidade da produção agropecuária brasileira, às ações e técnicas empregadas. O projeto foi iniciado em 2017. A primeira visita foi ao Vale do São Francisco, nas cidades de Juazeiro (Bahia) e Petrolina (Pernambuco), região que é conhecida pela produção de frutas, suco integral e espumante. A segunda edição do programa aconteceu no Mato Grosso do Sul, onde foi apresentada a produção de carne bovina e grãos. De acordo com a coordenadora da Assessoria Técnica da Faemg, Aline Veloso, durante a última semana de junho, uma equipe formada por profissionais da CNA e da Faemg, junto aos embaixadores de cinco países (Tailândia, França, México, Coreia do Sul e Holanda) visitaram fazendas produtoras de café e de leite e derivados. A visita é considerada importante para estimular negócios por ser uma oportunidade de conhecer a produção, as tecnologias empregadas, a sanidade, os cuidados com o meio ambiente. “Os embaixadores são, normalmente, responsáveis por pareceres e informações quando há necessidade de estabelecer negociações internacionais entre os países. Com a visita às unidades produtivas, os embaixadores aprenderam como são os processos produtivos, as características da produção, a importância das atividades para a sustentabilidade econômica, social e de defesa do meio ambiente. Isso é importante para estimular negócios dos produtos mineiros com os países representados”, explicou Aline. Visitas - A primeira visita foi na Fazenda Grota Grande, unidade produtora de leite, em Divinópolis. De acordo com Aline, a fazenda tem uma produção de leite altamente tecnificada, com amplo tratamento para os dejetos da produção, Área de Preservação Permanente (APP), Áreas de Reserva Legal e projetos voltados para a capacitação dos funcionários e preservação do meio ambiente. Os embaixadores também conheceram o município de São Roque de Minas, principal da região do queijo da Canastra, que é uma das sete regiões certificadas do Estado como produtora do Queijo Minas Artesanal (QMA). A visita foi na propriedade Roça da Cidade. “Nesta visita mostramos a força da organização dos produtores do Queijo Canastra em associação, os projetos de capacitação, a organização produtiva, as boas práticas empregadas na produção de um leite de qualidade que se transforma em queijos de alta qualidade. Também foi importante mostrar como a regularização e formalização da produção do Queijo Canastra possibilita a comercialização em vários locais”, disse Aline. Leite A2 - Na divisa de Guaxupé com Tapiratiba (São Paulo), foi possível conhecer a produção do leite A2, alimento indicado para pessoas que têm alergia às beta caseínas, uma proteína do leite. “Na Fazenda Bela Vista, além da produção do leite A2, conhecemos a fabricação dos derivados desse leite, como os iogurtes e o queijo. A fazenda tem bastante tecnologia empregada no sistema produtivo, na industrialização e no rebanho. A propriedade também se destaca por várias ações de sustentabilidade, como a utilização de sistemas que promovem a redução do gasto de energia”. Ainda segundo Aline, o resultado das visitas foi positivo, principalmente, pela oportunidade de mostrar a qualidade dos produtos mineiros e as técnicas empregadas no campo. “Todos gostaram muito das visitas e conheceram um pouco da tradição mineira na produção do café, leite e queijos. Esperamos que haja desdobramentos comerciais positivos. Já existem negociações junto à Coreia do Sul, União Europeia e com o México”. EXEMPLO DE SUSTENTABILIDADE NA CAFEICULTURA Em Guaxupé, no Sul de Minas, a comitiva formada por profissionais da CNA e da Faemg, junto aos embaixadores de cinco países (Tailândia, França, México, Coreia do Sul e Holanda), visitou fazendas produtoras de café e de leite e derivados. Na oportunidade, os visitantes puderam conhecer a produção de café na Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé). A cooperativa, que é a maior do mundo em café, destina grande parte da produção para o mercado internacional e investe nos grãos especiais. “Conhecemos todo o processo de beneficiamento, classificação e seleção dos cafés especiais na Cooxupé. Também foi feita uma apresentação mostrando o funcionamento da cooperativa, que tem mais de 5 mil associados, sendo a maioria de pequeno e médio portes”, explicou a coordenadora da Assessoria Técnica da Faemg, Aline Veloso. Para conhecer a produção de café no campo, foi feita visita à fazenda Monte Alto Coffe, em Guaxupé. “A propriedade é extremamente organizada, com sistema próprio de beneficiamento, seleção e classificação dos grãos especiais, que são exportados. Com uma área próxima a 500 hectares, além da produção de café, existem áreas de preservação permanente e ações de proteção para as nascentes dentro da propriedade”, explicou Aline. Segundo ela, a unidade, com gerência familiar, tem um projeto de identificação dos pássaros e criação de mudas de espécies da região.

Informações adicionais

  • NUMERO SELECTUS: 5446
  • Fonte da Notícia: Diário do Comércio
  • Data: Terça, 10 Julho 2018
Lido 369 vezes