Indústria deverá informar na embalagem presença de lactose em produtos –

 

O Ministério da Saúde estima que 37 milhões de brasileiros sofrem, em algum grau, de intolerância à lactose, que é a incapacidade do organismo de digerir o açúcar que o leite e seus derivados contêm. Se a pessoa que tem a intolerância ingerir produtos que contenham lactose, ela poderá apresentar, como conseqüência, diarréia, inchaço, náuseas e cãimbras estomacais, entre outros sintomas.


A Comissão de Desenvolvimento Econômico aprovou, nesta quarta-feira, o projeto de lei do deputado Sandro Mabel, do PR goiano, que obriga os fabricantes de produtos que contenham lactose a informar essa característica no rótulo ou na embalagem do produto. Sandro Mabel explica as vantagens do projeto.


"As mães que têm filhos que têm essa intolerância à lactose, elas têm muita dificuldade, ao fazer compras, de saber se o produto tem lactose ou não. Isso daí causa um mal para essa criança. Então, assim como o glúten que consta nas embalagens 'contém glúten', porque também tem uma doença que é provocada pelo glúten, lactose nós iremos constar também. Quando o produto contém lactose, aparecerá na embalagem 'contém lactose', o que é transparente para o consumidor que não tem o problema, ele não vai nem notar nada, mas para as pessoas que têm a doença, é uma informação importante."


O deputado Osório Adriano, do PFL do Distrito Federal e membro da comissão, foi favorável à aprovação da matéria. Para ele, não há risco de os fabricantes resistirem à aplicação da medida, por receio de perder em vendas.


"É apenas a inscrição, não está se mudando absolutamente nada. Coloca-se no rótulo. Isso é um esclarecimento. Pelo contrário: eu acho que isso é um gesto muito simpático daqueles que estão nesse meio."


O projeto que obriga que os fabricantes informem a presença de lactose nas embalagens ou rótulos dos produtos tramita em cárater conclusivo, ou seja, não precisa passar pelo plenário. Mas ele ainda tem de passar pelas comissões de Seguridade Social e de Constituição e Justiça, antes de ir ao Senado.



De Brasília, Paula Bittar.

 

 

Fonte: Rádio Câmara – 04/04/2007